OBRAS AVANÇANDO! Governador inspeciona construção do Viaduto da PRF e do Hospital Metropolitano


O governador Renan Filho visitou, na manhã desta sexta-feira (21), as obras de construção do Hospital Metropolitano e do Viaduto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na parte alta de Maceió. De acordo com ele, a previsão é de que os equipamentos estejam prontos até o meio do ano.

Acompanhado pelos secretários de Saúde, Alexandre Ayres; e do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito; além do médico cardiologista José Wanderley, Renan Filho iniciou as inspeções pelo Hospital Metropolitano, cujas obras estão com 90% dos serviços executados.

“Eu espero, agora em junho desse ano, entregar a obra 100% pronta. Em breve, vou anunciar o dia exato da inauguração. Esse é o maior investimento que Alagoas já fez em um equipamento de saúde”, disse Renan Filho.

O Metropolitano está sendo erguido com recursos próprios do Governo do Estado, da ordem de R$ 74 milhões. Serão 180 leitos e capacidade para realizar 10.300 atendimentos mensais, beneficiando usuários da capital e do interior.

José Wanderley disse que gostou do que viu. “Essa é uma obra extraordinária. São quatro salas de cirurgia, 30 leitos de UTI num padrão de excelência extraordinário e, complementando a obra, o governador já anunciou que vai fazer aqui um outro equipamento, quase que na mesma dimensão, contemplando um instituto de cardiologia e o hemocentro”, revelou o médico.

“O impacto disso é muito grande, do ponto de vista positivo, porque nós temos uma saúde que enfrenta dificuldades para internar as pessoas e aqui teremos um novo equipamento que vai entrar nessa área de alta complexidade, ajudar a fazer essa regulação e cumprir o papel importante em defesa da vida dos alagoanos”, acrescentou Wanderley.

José Wanderley disse que gostou do que viu. “Essa é uma obra extraordinária. São quatro salas de cirurgia, 30 leitos de UTI num padrão de excelência extraordinário e, complementando a obra, o governador já anunciou que vai fazer aqui um outro equipamento, quase que na mesma dimensão, contemplando um instituto de cardiologia e o hemocentro”, revelou o médico.

“O impacto disso é muito grande, do ponto de vista positivo, porque nós temos uma saúde que enfrenta dificuldades para internar as pessoas e aqui teremos um novo equipamento que vai entrar nessa área de alta complexidade, ajudar a fazer essa regulação e cumprir o papel importante em defesa da vida dos alagoanos”, acrescentou Wanderley.

por Agência Alagoas