PARA GANHAR O MUNDO – Área Internacional da Fiea anuncia ações para internacionalizar empresas alagoanas


Imagem ilustrativa

A Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), por meio de sua Área Internacional (CIN/AL), preparou uma série de ações estratégicas com o objetivo de favorecer a internacionalização de empresas alagoanas, além de diversificar a pauta exportadora do Estado. São consultorias, missões e estudos de inteligência comercial, participação em feiras nacionais e internacionais, entre outras.

Uma das principais atividades está confirmada em 2020: é o VII Encontro Internacional de Negócios (Enin), que acontece desde 2007. Promovido a cada dois anos, o evento proporciona um ambiente favorável à comercialização de diversos produtos brasileiros, especialmente das micro e pequenas empresas.

O intuito é internacionalizar a região Nordeste e demais regiões brasileiras de forma sustentável e permanente. No Enin, abrem-se as portas do mundo para as empresas brasileiras por meio de encontros de negócios com compradores nacionais e internacionais, gerando oportunidades de comercialização interna e externa dos nossos produtos.

Em 2020, outro desafio é expandir as ações no setor de agronegócio, com a formação de um grupo de produtores locais de pimenta para a exportação de seus produtos e aproximação dos produtores de soja e derivados do Estado.

Outros segmentos na pauta são o de energia renovável, com foco na energia solar e seus sistemas geradores; e de alimentos e bebidas, com a realização de diversas feiras e missões nacionais e internacionais.

O setor de vestuário e acessórios, com o apoio do Sindicato das Indústrias do Vestuário, da Confecção de Roupas Íntimas e da Fabricação de Bijuterias e de Joalheria (Sindivest/AL), já conta com um trabalho consolidado de participação de empresas alagoanas em diversas missões e rodadas de negócios da Rede CIN.

Um exemplo disso é o Minas Trend, considerado o maior salão de negócios da Indústria da Moda na América Latina, com a participação do Coletivo Alagoas. Em 2020, serão realizadas as missões anuais para o segmento, além de cursos de capacitação no exterior.

Balança comercial

No ano de 2019, as exportações alagoanas alcançaram US$ 312,40 milhões, enquanto as importações somaram um montante de US$ 665,97 milhões, registrando um aumento de 12,91% em relação a 2018.

Ao longo do ano que se passou, houve no Estado um considerável aumento das importações a partir do 2º semestre. Já as exportações, por sua vez, registraram maior oscilação e isso ocorre pelo fato do desempenho do setor sucroalcooleiro impactar consideravelmente as exportações alagoanas, com seus períodos de chuva e entressafras.

Considerado um dos principais exportadores de açúcares de cana do Brasil, ocupando a 4ª posição no ranking, Alagoas apresentou mais de 87% das suas exportações totais deste produto. Assim, o cenário internacional oferece uma grande oportunidade de expansão e modernização do setor sucroalcooleiro do Estado.

Um exemplo disso pode ser visto no Projeto Brazil Sugarcane Bioenergy Solution, parceria entre o Apla (Arranjo Produtivo Local do Álcool) e a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

A iniciativa agrega empresas e instituições públicas e privadas, ligadas ao setor sucroenergético, cobrindo a cadeia agroindustrial da cana-de-açúcar desde o desenvolvimento de tecnologias industriais e agrícolas, fabricação de máquinas e equipamentos, ampliação de variedades de cana e prestação de serviços diversos, até a participação efetiva no desenvolvimento e estruturação de mercados.

Outros produtos

Dentro da pauta exportadora de Alagoas, em 2019, além dos açúcares de cana, merecem destaque na balança comercial as embarcações de tabaco; monofilamentos (monofios) de polímeros de cloreto de vinila; óleo de coco; artigos de escritório e artigos escolares de plásticos; outras bijuterias de metais comuns e bolsas.

Todos estes produtos provenientes de indústrias locais e que receberam/recebem auxílio da Área Internacional da Federação das Indústrias de Alagoas no seu processo de internacionalização e que agora realizam atividades frequentes no comércio internacional.

Pro meio da realização de missões comerciais, estudos de inteligência comercial e participação em feiras, tanto nacionais quanto internacionais, o CIN/AL auxilia as empresas do nosso Estado a se lançarem no mercado internacional que, cada vez mais, vem se mostrando uma ótima alternativa para as empresas que buscam maior competitividade no mercado, seja através da exportação ou importação de produtos.

Além do nosso potencial no setor sucroalcooleiro, Alagoas se destaca ainda com a fabricação de produtos derivados do coco, com nossas cervejas artesanais e cachaças premium, ambas possuindo reconhecimento internacional.

E também através de produtos de identificação geográfica da nossa terra, como é o caso da renda filé e da própolis vermelha – reconhecidas pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). Todos eles evidenciam a capacidade de produção e representação alagoana que pode ser feita e reconhecida internacionalmente.