EXPANDINDO HORIZONTES – Empresa alagoana é uma das 15 selecionadas para programa de internacionalização em Nova York


Entre quase 200 empresas, a Ilhasoft foi escolhida para participar do Startout Brasil, programa de apoio à inserção de startups no mercado global. Na lista de aprovados, divulgada na última sexta-feira (27), a startup maceioense aparece na sexta posição do ranking.

Promovida por instituições federais e Sebrae, a seleção reuniu as maiores promessas do país a se tornarem companhias com forte presença internacional.

A Ilhasoft, empresa que trabalha com chatbots (traduzido do inglês: conversas com robôs) e inteligência artificial, foi fundada e permanece em Maceió, mas sempre quis mostrar o impacto que tecnologias inteligentes podem gerar na comunicação mesmo nos lugares mais remotos do planeta. E o time nunca esteve distante disso. A vasta experiência em projetos de alta performance e repercussão com organizações de grande relevância, como ONU e UNICEF, que o digam.

“Nossa tecnologia está presente em 16 estados brasileiros e 30 países, atendendo a grandes audiências e automatizando processos ativos (enviando mensagens) e passivos (atendimento ao cliente) com assistentes virtuais inteligentes”, contou Leandro Neves, sócio-fundador e diretor de Desenvolvimento de Negócios da Ilha.

Na disputa, a empresa foi avaliada por uma banca de examinadores especialistas que selecionou somente 15 empresas consideradas aptas a serem preparadas para a imersão nos ecossistemas estrangeiros.

Durante o processo seletivo, foram avaliados o modelo de negócio da startup, a qualificação da equipe, o grau de inovação, a maturidade e os objetivos para inserção internacional. Podiam estar no páreo startups brasileiras com faturamento acima dos R$ 500 mil ou que tivessem recebido algum tipo de investimento.

Também era exigida uma equipe totalmente dedicada, fluente em inglês e que demonstrasse capacidade de se expandir internacionalmente sem comprometer suas operações aqui no Brasil.

A responsabilidade pela criação do Startout foi do Governo Federal, Ministérios das Relações Exteriores e da Economia, Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e Sebrae.

Aprovada, agora a Ilhasoft entra em um processo dividido em 3 etapas: capacitação, missão e reconhecimento. Ao final da primeira, deverá apresentar o plano de negócios e a estratégia de entrada no mercado-alvo (país para onde desejam expandir).

No decorrer da segunda, que acontecerá no mês de abril, em Nova York, o time poderá aprimorar os conhecimentos adquiridos na fase anterior e terá a oportunidade de se conectar com alguns dos principais players locais e prospectar oportunidades de negócios.

Com o retorno da missão, vem o compromisso de colocar em prática tudo o que foi aprendido. A todas as startups participantes do programa, é oferecido apoio para promoção de exportação do produto/serviço, instalação no país visitado, atração de investimentos e todo o suporte necessário. Ao longo dos 18 meses posteriores, a empresa deverá disponibilizar informações sobre os resultados.

E para Leandro, esse é só o começo: “Ainda vamos muito longe”.