PIBINHO E DOLÃO – Bolsa cai 10%, ‘circuit breaker’ e suspensão pela 2ª vez na semana


Imagem da internet

Nesta quarta (11) a Bolsa brasileira teve as negociações suspensas temporariamente, na segunda vez na semana, ao despencar mais de 10%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira operava em queda de 10,11%, o que acionou o “circuit breaker”, mecanismo automático que interrompe os negócios por 30 minutos. Depois desse intervalo, ela volta a operar e, para uma nova interrupção, é preciso uma queda de mais de 15%.

O “circuit breaker” também foi acionado na Bolsa brasileira na última segunda-feira (9), pela primeira vez desde 2017. A segunda-feira foi um dia de caos nos mercados mundiais, com quedas generalizadas, após um tombo no preço dos petróleo se somar às preocupações com o coronavírus.

As Bolsas dos Estados Unidos também operam em forte queda hoje, e as da Europa fecharam com desvalorização, aos níveis mais baixos em mais de um ano.

Dólar em alta de quase 2%

Também por volta das 15h15 desta quarta-feira, o dólar comercial subia 1,69%, a R$ 4,724 na venda. O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Pandemia de coronavírus

Em todo o mundo, investidores acompanham com preocupação a rápida expansão do surto de coronavírus e seus impactos na economia. A OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou hoje uma pandemia do coronavírus, o que significa que há uma transmissão recorrente em diferentes partes do mundo e de forma simultânea.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou hoje um aumento no número de casos. Agora, são 37 infectados e 876 casos suspeitos.

Banco Central

O Banco Central segue intervindo nos mercados de câmbio, mas deixou de vender dólar à vista, como havia feito na segunda e na terça. Hoje, o BC vendeu 20 mil contratos de swap tradicional com vencimentos em agosto, outubro e dezembro de 2020. O BC, na véspera, vendeu US$ 2 bilhões à vista, o que ajudou a moeda a fechar em queda.

Coronavírus

Em todo o mundo, os investidores adotavam um tom mais cauteloso à medida que acompanhavam a rápida expansão do surto de coronavírus, que forçou vários governos e bancos centrais a anunciar medidas de emergência para evitar que a doença leve a uma nova recessão econômica.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse ontem que pedirá ao Congresso um corte de impostos sobre salários e outros movimentos de estímulo “muito importantes”, mas detalhes ainda não estão claros.

“A discussão se volta agora para o cronograma de implementação desse pacote —quando e quanto será de fato implementado, e se outros países seguirão esses passos e aplicarão estímulos para apoiar a economia”, disse em nota a XP Investimentos.

O que é “circuit breaker”?

A interrupção dos negócios, chamada de “circuit breaker”, é um mecanismo adotado no mundo todo e serve para garantir proteção quando há grande instabilidade em momentos atípicos do mercado.

Aqui no Brasil, quando a queda da Bolsa atinge 10%, ela é paralisada por 30 minutos. Passado esse intervalo, os negócios são reabertos e o limite de queda passa a ser de 15%. Se a baixa chegar a 15%, a Bolsa para novamente, agora por uma hora. Após esse período, as operações são retomadas e o limite de baixa aumenta para 20%. Se o Ibovespa cai 20%, os mercados podem ser interrompidos por qualquer prazo definido pela Bolsa de Valores.