MAIS PERTO DA CURA? – EUA testa tratamento para malária em combate ao coronavírus


Ainda não existem vacinas para a doença respiratória altamente contagiosa

Imagem da Internet

Sem a existência de vacinas, nem tratamentos para o covid-19, os pacientes infectados só recebem, por ora, cuidados paliativos. Diante da situação, muitas pesquisas estão sendo feitas com o propósito de combater esse vírus tão potente.

Nesta quinta-feira, 19, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um pronunciamento aprovando o uso da cloroquina, medicamento usado no tratamento da malária. “Poderemos disponibilizar esse medicamento quase imediatamente”, afirmou Trump a repórteres.

Nesta semana, a Universidade de Minnesota iniciou um novo teste com 1.500 pessoas para verificar se a hidroxicloroquina, usada para tratar a malária, pode evitar ou reduzir a severidade do vírus. Dois outros testes estão estudando o remédio para pressão arterial, losartana, como tratamento possível para a doença.

O medicamento para malária, também está sendo testado na China, Austrália e França. Além de ter um efeito antiviral direto, a hidroxicloroquina suprime a produção e liberação de proteínas envolvidas nas complicações inflamatórias de várias doenças virais.

Especialistas dizem que pode demorar um ano ou mais para se preparar uma vacina preventiva, por isso tratamentos eficientes são necessários com urgência.

O vírus de disseminação rápida, que surgiu na China em dezembro e agora está em mais de 150 países, já infectou mais de 214 mil pessoas e matou mais de 8.700 em todo o mundo.