MEDIDA PREVENTIVA: Governo se reúne com bancos públicos para conter impactos econômicos em Alagoas


A propagação em grande escala do novo Coronavírus (Covid-19) tem causado um peso direto na economia mundial. O cenário é crítico e se faz necessário a aplicação de medidas eficazes de prevenção e contenção dos impactos econômicos que venham a ocorrer. Pensando nisso, a Secretaria da Fazenda (Sefaz-AL) se reuniu, nesta quinta-feira (19), com representantes dos bancos públicos do Estado.

Durante o encontro, foram definidas estratégias de atendimento que suportem as necessidades dos empresários, considerando a classificação de pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A ideia é estabelecer uma postura proativa do sistema bancário para atender aos cidadãos alagoanos em meio à crise nacional de saúde causada pelo vírus.

Na ocasião, estiveram presentes o gerente de Relacionamento do Banco do Brasil (BB), Silvânio Vieira, o gerente geral da Caixa Econômica Federal, Ary Rocha, Superintendente estadual em exercício do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Wesley Cordeiro, e o presidente da Agência de Fomento de Alagoas (Desenvolve), Humberto Lira.

Para o secretário da Fazenda, George Santoro, é importante que o órgão se antecipe para combater o impacto da pandemia na economia do Estado, buscando, assim, reduzir os danos causados durante este período.

“O nosso intuito é antecipar esse impacto na economia do Estado e estabelecer medidas preventivas para diminuir os danos. Debatemos possíveis alternativas de linha de crédito para amparar os empresários alagoanos. Estamos pedindo uma postura proativa dos bancos, para não só disponibilizar a linha, mas melhorar e facilitar o atendimento neste momento que vai demandar não só cuidados, mas também maior agilidade e efetividade”, ressalta.

Segundo o gerente de Relacionamento do Banco do Brasil, Silvânio Vieira, é de suma importância essa coordenação das autoridades do Estado para conter o máximo do efeito econômico em Alagoas, priorizando o bem-estar das pessoas.

De acordo com o superintendente estadual em exercício do BNB, Wesley Cordeiro, essa reunião foi fundamental para criar ações sistematizadas. “Enquanto banco público temos uma grande responsabilidade de minimizar os efeitos dessa crise de saúde e financeira, tanto ofertando novas linhas de crédito para sustentabilidade das empresas quanto mantendo o atendimento das pessoas e prorrogando as dívidas daqueles que estão em dificuldade e é importante não ter ações isoladas, juntamente com o Governo a gente pode criar ciclo de ações positivas de modo a minimizar essa situação que estamos passando”.

O gerente geral da Caixa Econômica Federal, Ary Rocha, diz que trazer alternativas no momento tão delicado e difícil, de maneira que gere menos impacto, menos prejuízo e que venha a trazer a efetividade para o Estado é primordial.

“Acredito que quando as autoridades estão em conjunto com os demais órgãos, com mais setores envolvidos nessa questão de economia e de saúde, a gente sabe que tudo vai transcorrer da melhor maneira possível e entende que isso além de uma necessidade, mostra o comprometimento do Governo com o povo alagoano”, finaliza.