ELEIÇÃO MP-AL: Candidato pede adiamento de votação


Por causa do coronavírus, o promotor Wesley Oliveira solicitou que fosse adiada a eleição para o cargo de procurador-geral de Justiça, agendada para 17 de abril

Wesley Oliveira / Foto: Dicom TJ-AL

O promotor de Justiça Wesley Fernandes de Oliveira, um dos seis candidatos inscritos na disputa pelo cargo de procurador-geral de Justiça, em Alagoas, solicitou que fosse adiada a eleição da lista tríplice de onde vai sair o substituto de Alfredo Gaspar.

O pedido formal foi encaminhado ao procurador-geral interino e presidente da comissão eleitoral, Sérgio Jucá. As justificativas são o atual cenário de pandemia do novo coronavírus e as medidas tomadas para o enfrentamento à doença. Para evitar aglomerações, diversas atividades foram suspensas no Estado e, por enquanto, os candidatos só podem fazer campanha por telefone ou via internet.

A votação está agendada para o dia 17 de abril de 2020, segundo a decisão do Colégio de Procuradores. Seis nomes estão na disputa, dentre eles os procuradores Eduardo Tavares e Márcio Roberto Tenório, e os promotores de Justiça Marcos Rômulo Maia de Mello, Flávio Gomes, Antônio Vilas Boas e Wesley Fernandes de Oliveira.

Dois procuradores e quatro promotores disputam a chefia do MP-AL / Foto Ilustrativa

Os três membros mais votados (lista tríplice), obedecidas a ordem determinada pela Lei Complementar nº 15 de 22 de novembro de 1996, terão seus nomes encaminhados ao governador do Estado para que seja escolhido quem comandará o MP-AL por dois anos, a partir de 2 de janeiro de 2021.

Após o procurador-geral Alfredo Gaspar renunciar ao comando da Instituição para concorrer às eleições municipais deste ano, quem assumiu a cadeira, temporariamente, foi o procurador Márcio Roberto Tenório, que agora está afastado para disputar a chefia do MP.