O TRABALHO NÃO PARA! – TJAL realiza mais de 72 mil atos processuais em 9 dias de teletrabalho


Regime de trabalho em home office para servidores e magistrados é estratégia do Judiciário alagoano para evitar proliferação do coronavírus 

Ascom TJAL

Nos nove primeiros dias do regime de teletrabalho no Tribunal de Justiça de Alagoas, entre 18 e 27 de março, foram registrados 72.019 atos processuais divididos assim: 17.769 despachos, 38.908 decisões, 5.326 sentenças, 884 julgados em segundo grau e 9.132 processos baixados.

O regime de teletrabalho foi instituído pela Presidência do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) e pela Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ), no dia 20 de março, como forma de prevenção ao novo coronavírus. A medida segue resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“Os números mostram que o Tribunal de Justiça não para. Nossos servidores e magistrados estão isolados socialmente, mas empenhados no desempenho de suas funções, garantindo os direitos da população alagoana”, diz o desembargador Tutmés Airan de Albuquerque, presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL).

“A atuação dos magistrados e servidores segue firme. O desafio que se apresenta exige um comprometimento ainda maior com a população. Os números mostram que há empenho de todos os integrantes do Judiciário alagoano e que a tecnologia permite que nossos objetivos sejam alcançados”, reforçou João Paulo Martins, juiz auxiliar da Corregedoria.

Magistrados e servidores desempenharão as suas funções de forma remota até o dia 30 de abril. Os oficiais de Justiça também atuam por teletrabalho, mas se deslocam para cumprir presencialmente determinações judiciais urgentes.

 

Ascom TJAL