COVID-19 – Rede de enfrentamento à violência contra a mulher segue ativa durante quarentena


Vítimas podem procurar os serviços de urgência da Central de Atendimento e contam ainda com as rondas da Patrulha Maria da Penha, que funcionam 24h

Foto: Ascom Semudh

A Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, coordenada pela Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh), continua com suas atividades a todo vapor, por se tratar de um serviço essencial para a sociedade alagoana. Só nos últimos dez dias, período em que está vigente o Decreto Governamental n°69.541, que dispõe sobre as medidas adotadas para o enfrentamento da pandemia de Covid-19, a Patrulha Maria da Penha (PMP) efetuou duas prisões em flagrante por descumprimento de medidas protetivas para proteger mulheres vítimas de violência.

Uma das prisões aconteceu na última segunda-feira (27), no bairro do Trapiche, na capital alagoana. A vítima acionou uma guarnição da PMP depois de ser agredida dentro de casa. A Patrulha conseguiu efetuar a prisão em flagrante em instantes depois. O segundo caso aconteceu no bairro da Santa Lúcia, também em Maceió, na noite de ontem (31). Durante visita rotineira, a PMP foi surpreendida pela presença do agressor na casa da vítima protegida tentando importuná-la e efetuou a apreensão do sujeito.

Os serviços de atendimento de urgência às mulheres continuam sendo realizados pela Central de Atendimento à Mulher Vítima de Violência (CEAM), assim como as rondas da Patrulha Maria da Penha, que tem funcionamento 24h. Nos casos de acolhimento, está sendo realizado atendimento psicológico online nas segundas, quartas e sextas-feiras das 8h às 17h, através do contato: (82) 988676434, da psicologa Goretti Jatobá.

O CEAM conta com uma equipe formada por profissionais como assistente social, psicólogas e advogada. O serviço realizado pela equipe multidisciplinar é continuado, onde a vítima dispõe de mecanismos que a auxiliam na sua proteção e na melhoria da qualidade de vida. O Centro fica localizado na Rua Augusto Cardoso Ribeiro, s/n, Jatiúca, (transversal à Rua Dr. Antônio Gomes de Barros – antiga Av. Amélia Rosa).

A denúncia de violência doméstica e/ou familiar também pode ser realizada de forma anônima pelo Disque 180, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, pelo Disque-Denúncia 100 ou ligando para o 190 da Polícia Militar.

A Defensoria Pública do Estado de Alagoas também está em funcionamento em regime de Teletrabalho e, para o atendimento das mulheres em situação de violência doméstica e familiar aqui na capital, foi disponibilizado o seguinte telefone com Whatsapp 98833-2914, para possibilitar a essas mulheres pedidos de medidas protetivas de urgência, orientações processuais, atualização de informações importantes, pedidos de renovação de medidas de proteção e demais requerimentos necessários.

 

Agência Alagoas