IMPACTOS DO ISOLAMENTO – Pescadores de Maceió sofrem prejuízo com fechamento de restaurantes


A situação é decorrente do período de isolamento decretado pelo governo alagoano

Foto: Carolina Sanches

Considerada melhor época do ano para os pescadores, período que o consumo de peixe aumenta devido a Semana Santa, este ano não teve o mesmo resultado. Com as medidas preventivas em combate ao novo coronavírus, as pessoas não estão saindo para fazer compras.

Pescadores e marisqueiras do Centro Pesqueiro de Jaraguá dizem que as vendas despencaram. Eles atribuem a queda ao isolamento social e ao decreto de emergência do governo do estado, onde vários estabelecimentos comerciais, inclusive os restaurantes, estão fechados.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde (MS) o isolamento social é fundamental para conter o avanço do vírus em todo mundo. Ate domingo (5), Alagoas registrou 28 casos e duas mortes provocadas pela Covid-19, doença causa pelo coronavírus.

O vendedor José Claudio dos Santos disse que esse é o ano com menor movimento. “Esperamos que as vendas aumentem até sexta porque se isso não acontecer vamos ter prejuízo”, lamenta.

Eles também vendiam muito para restaurantes, mas como o funcionamento permitido é apenas por delivery ou na modalidade “passe e pegue”, as vendas também diminuíram.

A vendedora Roseli dos Santos disse que muita gente não está indo comprar. “Tem também a questão dos restaurantes que estão com venda apenas por entrega e os pedidos deles diminuíram aqui”.

Os preços dos mariscos são variados. O quilo do camarão varia de R$25,00 com casca a R$ 70,00 sem casca. O sururu custa entre R$15,00 e R$20,00. O filé de siri custa R$40,00.

O Centro Pesqueiro funciona no bairro de Jaraguá das 5h às 18h.