“O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL” – Italianos são orientados a deixarem o Brasil por causa do coronavírus


Embaixada da Itália no Brasil emitiu comunicado nesse sábado (11)

Foto: Reprodução/Site da Embaixada da Itália no Brasil

A Embaixada da Itália no Brasil publicou, nesse sábado (11), uma nota pedindo que cidadãos e residentes italianos que estão temporariamente no Brasil voltem para seu país “o mais rápido possível”. O motivo é o avanço do novo coronavírus por aqui.

O texto informa que há voos disponíveis para a Europa operados pela Lufthansa (de São Paulo) e pela Air France (de São Paulo e Rio de Janeiro) que permitem chegar à Itália por meio de conexões em Frankfurt (Alemanha) e Paris (França), respectivamente. Também alerta que “os voos internos para São Paulo e Rio de Janeiro são limitados, mas ainda operacionais”. A Alitalia e a Latam, que operam trechos diretos para Roma e Milão, suspenderam as operações em razão da pandemia.

A representação diplomática informa que “atualmente não há voos especiais de repatriamento” e pede que os italianos não entrem em contato com a Embaixada ou Consulados para obter informações sobre compras de passagens aéreas, pois isso deve ser feito diretamente com as companhias aéreas.

O comunicado orienta ainda alguns protocolos para os italianos que regressarem ao país. “Qualquer pessoa que retorne do exterior à Itália deve comunicar imediatamente sua chegada ao destino à Autoridade de Saúde responsável pelo território, será submetida a vigilância sanitária e deverá observar obrigatoriamente um período de auto-isolamento por um período de 14 dias em sua residência”, orienta a Embaixada.

O site do Ministério das Relações Exteriores da Itália disponibilizou uma página de perguntas e respostas para esclarecer eventuais dúvidas sobre as condições de retorno ao país.

Retorno a seus países

Na última sexta-feira (10), um informativo semelhante foi publicado pelo embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel. No texto, o representante alemão citou o aumento de casos graves e mortes por coronavírus, além do receio de que a situação se agrave rapidamente. O comunicado ressaltava ainda o fato de que, em alguns estados brasileiros, os sistemas de saúde já estão sobrecarregados.

Em 24 de março, os Estados Unidos também orientaram o regresso dos cidadãos norte-americanos que estavam no exterior, devido à pandemia de covid-19.

O Reino Unido, por sua vez, atualizou as recomendações de viagem para o Brasil, mas já orientava o retorno de turistas que estivessem em outros países, enquanto ainda houvesse rotas comerciais disponíveis.