NEGÓCIO ILEGAL – Polícia prende suspeitos por venda de testes rápidos de covid-19 em São Paulo


Os kits eram comercializados a R$ 250; a polícia apreendeu 875 kits e R$ 6.800 em dinheiro

Foto: Reprodução

A Polícia Civil prendeu na segunda-feira (13) mais dois suspeitos de vender testes rápidos para coronavírus, de uma carga importada da China e furtada do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, Grande São Paulo.

Segundo informações divulgadas pela corporação, a dupla foi detida na Zona Leste de São Paulo, onde comercializava cada kit por R$ 250. Durante a prisão, os policiais se passaram por compradores e também apreenderam 875 kits e R$ 6.800 em dinheiro.

A investigação conduziu agentes da 2ª Delegacia de Investigações sobre Roubo e Furto de Cargas à Rua Cantagalo, no bairro Tatuapé. A equipe chegou ao endereço depois de descobrir que o grupo fazia negociações de testes furtados.

A localização de um suspeito de ter envolvimento no esquema ajudou os agentes a avançar na apuração do caso. Após ser preso pelos policiais civis, o homem, que portava 25 kits de teste, foi interrogado e acabou revelando que conseguiu o material em uma residência localizada na Rua Vitoantonio Del Vecchio, na Mooca.

Outras prisões

Com mais essas duas prisões, pelo menos 16 pessoas já foram detidas suspeitas de envolvimento no furto dos 15 mil testes rápidos de Covid-19 e cerca de 2,1 milhões de máscaras descartáveis, distribuídas em 435 caixas,no aeroporto em Guarulhos.

O Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), que coordenou a operação, também recolheu um machado, uma faca, uma carabina calibre 40, uma espingarda calibre 12 e três pistolas calibre 380.

Ao todo 50 mil testes da China tinham sido importados para o Brasil. A carga, avaliada em R$ 4 milhões, havia chegado ao país na quarta-feira (8).

Um empresário tinha trazido os testes chineses, que mostram resultados em minutos, para serem levados a hospitais no Nordeste do país.