PLANTÃO VAZIO? Onde estão os infectados?


Já está virando costume que médicos, enfermeiros e outros profissionais que trabalham na “saúde”, usem suas redes sociais para mostrar a triste realidade dos plantões, sendo a falta dos Epis ou até mesmo, a precariedade do material para o enfrentamento da Pandemia. Mas um médico resolveu compartilhar uma cena diferente, um plantão de um hospital em São Paulo com leitos vazios. Mas ora onde estão todas pessoas infectadas com o Covid-19 da maior cidade do País? Para que tantos leitos se os pacientes estão se tratando em suas casas?

Estes que se dizem estar na linha de frente, não estariam (ai pelo menos na foto) realmente lutando. Mas estão. Estão aguardando o inesperado, se preparando psicologicamente, e isso é ótimo! Mas o que será que está acontecendo de verdade? A OMS não iria fazer um alarde desnecessário pelo mundo, para que todos fiquem em casa assistindo sua série favorita e ganhando uns quilinhos.  Não iriam divulgar números assustadores de mortos e nem decretar uma pandemia se isso não fosse tão assustadoramente verdade.

Todos os dias mais e mais pessoas estão contraindo esta doença, mas ver um hospital assim, vazio, passa a impressão de que não se trata de algo tão impressionante. Em quem devemos acreditar? Devemos acreditar nas estatísticas? Nos números? Nos profissionais que nos orientam todos os dias buscando nossa segurança e sobrevivência?

Sim, sobrevivência. O desejo de permanecer vivo,  essa é a palavra menos usada nos debates e nos discursos das autoridades, porque se for usada, o pânico é oficialmente instaurado, e tudo ficaria fora de controle.  É claro que muita gente está preocupada com sua forma de manter sua sobrevivência, seu sustento. Uns com certeza muito mais do que outros.

A foto para ilustrar essa matéria, é um questionamento válido de um médico, de um profissional que está na linha de frente. E se ele está levantando essa dúvida, quantas outras virão daqueles são e não são da “área da saúde”. Quando poderemos sair? Quando isso vai terminar? O que eu vou comer amanhã? Como vou pagar esta conta? Nós vamos sobreviver?

Se as orientações forem obedecidas, o número de infectados não vai aumentar. O número de mortos vai desacelerar, os hospitais não ficarão lotados, o sistema não irá quebrar. Uma vacina será encontrada, a Pandemia será controlada. Governo esta disparando um auxílio para população. Uma medida paliativa? Talvez, mas ainda assim uma atitude de uma outra linha de batalha.

Amanhã teremos os mesmos problemas, as mesmas dúvidas e questões para resolver, porém ninguém desistiu ainda. Todos estão estão fazendo a sua parte, temos que fazer a nossa.

Nós vamos sobreviver.

 

Por Bruno Borges.