Prefeito encaminha projetos para reajuste da Previdência e pedido de crédito especial para Covid-19


Em Palmeira dos Índios o prefeito Júlio Cezar encaminhou para a Câmara de Vereadores os projetos de Leis 013/2020 e 014/2020 um deles que atualiza o cálculo atuarial da PalmeiraPrev, obedecendo as regras da nova Previdência aprovada pelo Congresso Nacional e o outro é sobre pedido de crédito especial para utilização dos recursos face às despesas do município relacionadas ao enfrentamento da pandemia do Covid-19.

Sem polemizar, o Governo Municipal esclarece que a matéria sobre a Previdência tem sido pauta nos estados e municípios, visto que, há prazo para as adequações nas previdências municipais ou estaduais de regime próprio.  A reforma da Previdência, promulgada em novembro de 2019, por meio da Emenda Constitucional 103, determina que estados e municípios aumentem as alíquotas de contribuição cobradas de servidores públicos.

O Ministério da Previdência estabeleceu, que estados e municípios terão até 31 de julho de 2020 para comprovar que aumentaram as alíquotas previdenciárias de seus servidores para pelo menos 14%, como determina a reforma. O ente que não comprovar que adotou a mudança até 31 de julho perderá o certificado de regularidade previdenciária e pode ficar sem receber repasses voluntários de recursos da União, além de ser bloqueado em operações de crédito.

Para fazer a mudança, o município encaminhou Projeto de Lei, após discutir com os Sindicatos, onde ficou garantido que às contribuições dos aposentados e pensionistas para a alíquota de14% (quatorze por cento), incidentes sobre a parcela dos proventos de aposentadoria e das pensões concedidas pelo RPPS que supere o limite máximo estabelecido para os benefícios do RGPS, ou seja, somente para aqueles que recebem hoje mais de R$ 6.101,06.

O Governo do Estado, por exemplo, já fez as devidas mudanças no AL Previdência com Projeto de Lei semelhante aprovado deputados estaduais, com exceção dos deputados Ricardo Nezinho e Breno Albuquerque que faltaram à sessão. Logo, trata-se de um tema preocupante, que exige conhecimento e cautela para não cair em discurso vazio, desinformado ou oportunista.