IRRESPONSABILIDADE! Lacen diz que deputado Davi Maia faz um desserviço à sociedade


O Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL) esclarece que NÃO HÁ pagamentos para os testes de detecção da Covid-19 junto à empresa BioManguinhos, unidade produtora de imunobiológicos do laboratório Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Os testes foram e são enviados sem custos para o Governo de Alagoas. Portanto, as suspeitas levantadas de forma leviana e irresponsável pelo deputado estadual Davi Maia são mentirosas e um desserviço ao enfrentamento da pandemia por parte do poder público, assim como só servem para instaurar pânico na população alagoana.

Todos os kits de testes de RT-PRC recebidos pelo Lacen foram fornecidos pela empresa Bio-Manguinhos. O quantitativo se encontra disponível no Portal da Transparência da BioManguinhos, que fornece kits para laboratórios centrais de todo o Brasil. Não há hipótese de haver duplicação porque cada amostra é registrada como um único teste e não gera nenhuma necessidade de pagamento.

Como é evidente, a pandemia do novo coronavírus gerou uma alta demanda por testes em todo o mundo. Para evitar o risco de indisponibilidade no acesso aos kits e acelerar a realização de diagnósticos em Alagoas, o Governo do Estado contratou mais 2.200 (dois mil e duzentos) testes do laboratório de análises clínicas Biomega, situado na cidade de São Paulo.

Contudo, o Lacen/AL reitera que NÃO ENVIA para a Biomega amostras já testadas no próprio laboratório e que não há amostras analisadas repetidamente. A exceção são as amostras com resultados indeterminados, que, conforme protocolo do Ministério da Saúde, e adotado em todo o mundo, define que testes com esses resultados devem ser repetidos. A recomendação é que a análise seja primeiramente repetida no Lacen-AL, caso persista o resultado indeterminado, a amostra deve ser encaminhada para nossa referência, que é a Fiocruz. Mais uma vez, ressalte-se: é um protocolo. Ainda assim, o Lacen/AL assegura que o percentual de ocorrência de testes indeterminados é mínimo.

Diante do exposto, o Lacen desmente vigorosamente as falsas denúncias e cobra responsabilidade dos “denunciantes” pelo trabalho dos profissionais abnegados deste órgão.