Ângela Garrote defende acompanhamento virtual das famílias dos pacientes internados


Com o intuito de diminuir a aflição de familiares por notícias de pessoas internadas que testaram positivo para a Covid-19, a deputada estadual Ângela Garrote protocolou um Projeto de Lei (PL), que estabelece um procedimento virtual e seguro de informações para os familiares de pessoas internadas com doenças infectocontagiosas em períodos de endemias, epidemias ou pandemias, nos hospitais públicos, privados ou de campanha do Estado.

O projeto prevê também que, no momento da entrada no centro médico, o paciente deve informar em formulário os dados de pelo menos um familiar ou uma pessoa próxima que receberá as atualizações do tratamento. As informações sobre a situação diária do paciente devem ser enviadas por aplicativo de mensagem ou outro meio eletrônico, de forma simples e clara, para melhor compreensão.

Garrote propõe que as informações sobre os doentes internados sejam enviadas por aplicativo de mensagem para os familiares

O objetivo da proposta é minimizar a angústia e ansiedade deste momento, além de proteger o direito à informação e garantir segurança aos familiares, já que a recomendação é que estes não tenham o contato físico com internados de doenças infectocontagiosas.

Durante a pandemia de Coronavírus, são muitos os relatos de famílias em busca de informações atualizadas sobre o estado de saúde de parentes hospitalizados. “Temos assistido com pesar a aflição de familiares por notícias e extrema tristeza em razão da necessidade do distanciamento. Pensando no bem estar dessas famílias e em diminuir-lhes o sofrimento, assim como trazer maior transparência e informação quanto ao estado de saúde do paciente internado, é que apresentamos o referido projeto de lei”, pontuou a parlamentar.