Pré-candidata diz que tá pronta para acabar com Império da família Beltrão em Feliz Deserto


Em Feliz Deserto, pequeno município praiano de Alagoas  com pouco mais de 4.700  habitantes, que no dia 23 do mês que vem estará completando 60 anos, desmembrado de Piaçabuçu, o nome político que está em evidência em meio a esse drama de pandemia da Codid-19, é o da pedagoga, Aleandra Oliveira.  Filiada ao partido Avante, Aleandra mostra-se disposta a peitar a “poderosa” família Beltrão, que segundo ela, há duas décadas impera na região, dominando a politica com o status de ditadura, sobretudo intimidado a liberdade de expressão da comunidade, que se amedronta em criticar coisas  erradas da administração pública.

O que se sabe é que o nome de Aleandra vem ganhando forças, em face de sua ousada forma de levar as denúncias das irregularidades existentes no município, por meio de vídeos postados em suas redes sociais. Seu maior desafio é impedir nas urnas, a reeleição da prefeita Rosiana Beltrão (MDB), ex-presidente da Associação dos Municípios Alagoanos- AMA, que tenta ocupar pela quarta vez o cargo à frente da Prefeitura. “Ela nem residência tem aqui na cidade, e quando vem a pra assinar documentos” denunciou Aleandra, dando conta do triste estado de abandono que se encontra  Feliz Deserto.

Junto com o presidente estadual do Avante, Marcos Toledo, Aleandra gravou um vídeo na praia que corta o município, lamentando a falta de ação politica, a fim de gerar emprego e renda. “Temos um potencial invejável que a natureza nos presenteou, entretanto, falta uma iniciativa política que venha garantir a exploração de investimento turístico; principalmente no tocante ao convencimento, para que empresários invistam na implantação de hotéis, pousadas, restaurantes, bares entre outros do segmento turístico” disse, lamentando que Feliz Deserto se encontra numa rota marítima  bastante badalada do Sul do Estado, mas que não tem atraído a presença de visitantes; justamente por falta de atratividade.