Ato Civil “Luto por Bebedouro” cobra providências na Braskem no bairro


Centenas de pessoas compareceram ao ato civil realizado na manhã desta sexta-feira (10), no bairro de Bebedouro, um dos bairros atingidos pelo afundamento do solo em Maceió.

Entre os grupos presentes, estavam o Luto por Bebedouro. Entre as reivindicações dos manifestantes estão a maior celeridade da Braskem e da Defesa Civil para prestar assistência aos moradores do bairro e também a imediata inserção do bairro na zona de criticidade 00, de urgente evacuação.

O líder do grupo Luto por Bebedouro, o advogado Israel Lessa, destacou a importância do ato e lamentou a negligência da mineradora Braskem.

“Isso demonstra que o povo de Bebedouro está clamando por justiça. Minha família vive aqui desde 1935. Árvores e o muro de mais de 40 metros caiu sendo precedido de um estalo. Eu tenho percorrido o bairro e constatado milhares de residências danificadas e essas pessoas não estão tendo nenhum tipo de assistência. A Braskem formalizou uma junta técnica que disponibilizou um número para os moradores ligarem, mas as visitas estão sendo agendadas para setembro. A gente cobra o governador, o prefeito e os Ministérios Público Estadual e Federal porque tem pessoas aqui que estão morrendo com medo de que possa abrir um buraco a qualquer momento”, disse.

Lessa explicou ainda que entrou com uma representação junto ao Ministério Público Federal (MPF) colhendo um abaixo-assinado com o objetivo de solicitar uma Audiência para os moradores. O movimento destacou também a importância da evacuação imediata dos moradores do bairro.

“É dramático. A comunidade aqui tem uma grande quantidade de idosos. O abrigo dos idosos, Luiza de Marilac, está passando por uma situação muito difícil. O prédio que abriga quase 50 idosas apresenta várias rachaduras. Estão surgindo do chão materiais que parecem sal e já foi denunciado à Defesa Civil e cinco minas da Braskem estão perdidas no bairro e até hoje eles mesmo não sabem onde estão. Eles querem que a gente saia de casa e não estão dando nenhuma condição para isso. Estão oferecendo 5 mil reais para o morador sair do bairro, mas como evacuar uma casa somente com esse valor?”, refletiu.

O próximo ato público do Luto por Bebedouro ainda não tem data prevista, mas a organização afirmou que um novo ato deve ser realizado em breve.