Violento carreteiro destrói com seu caminhão entrada da empresa da própria família


Ainda repercute com intensidade desde sexta-feira última em toda região de Palmeira dos Índios, o gesto violento do caminhoneiro Júnior Sobral. Simplesmente esse elemento conduzindo seu veiculo pesado tentou invadir a empresa da família SS Engenharia, que fica no trecho da saída de Palmeira para Igaci/AL,  portando uma arma de fogo. Testemunhas afirmam que na ação, Júnior chegou a derrubar o portão da entrada do pátio, dando ré no “cavalinho” de uma carreta, em alta velocidade; tudo para confrontar com o irmão, Sillas Sobral, que gerencia a empresa.

“O Júnior parecia que estava  com o satanás no corpo, disse um informante. “Ele deu uma ré em alta velocidade em direção ao seu irmão, administrador da empresa, Sillas Sobral que, para se defender, primeiro deflagrou alguns tiros para cima, na tentativa de interromper a agressão, e como o caminhão não parou, voltou a disparar em direção aos pneus e o motor do caminhão, para evitar de ser atingido” disse o informante, dando conta que após a reação de defesa do irmão, o caminhoneiro agressivo voltou atrás nas suas intenções e fugiu.

Portão no chão e as marcas dos pneus na cena do crime

O caso foi parar na Delegacia de Polícia de Arapiraca. Isso porque minutos depois da horrível cena, rapidamente a Polícia Militar chegou à empresa e ouviu alguns funcionários e logo depois os dois irmãos foram levados à Central de Flagrante em Arapiraca para serem ouvidos sobre o fato ocorrido.

“O Júnior chegou aqui dirigindo um cavalinho querendo entrar e o gerente disse que não podia, porque o Sillas não deixou. Aí ele fez a volta do caminhão e entrou de ré derrubando o portão e dirigindo-se para atropelar o próprio Sillas, que ai atirou para cima e todo mundo correu. Mas Sillas não atirou no irmão não, ele queria era parar carreta” narrou um dos funcionários da empresa. Levado o caso a Central de Flagrantes, verificou-se que o Sillas Sobral tinha porte de armas e disparou em legítima defesa com arma registrada no Exército. O resultado desse episódio é que o caminhão ficou detido em Arapiraca, mas os irmãos depois de prestarem depoimentos foram liberados em seguida.