Crédito do Banco do Nordeste para pecuária alagoana cresce 20%


Atividade de bovinocultura de recria e engorda extensiva se destaca com aumento de 50% nas contratações

As contratações do Banco do Nordeste destinadas à pecuária alagoana somam R$ 153 milhões de janeiro até setembro de 2020, aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano passado. A bovinocultura se destaca entre as atividades que mais demandaram crédito nos primeiros nove meses deste ano, e, em especial, a de recria e engorda extensiva.

Para o superintendente estadual do BNB em Alagoas, Sidinei Reis, o Banco vem acompanhando o desenvolvimento do setor, que conquista cada vez mais projeção nacional e internacional. “Temos uma pecuária premiada pela qualidade do rebanho e uma das maiores bacias leiteiras da Região, que conta com o nosso apoio em toda a cadeia produtiva, com oferta de crédito tanto para os pequenos produtos como para os grandes criadores do Estado”, ressalta.

O gestor chama a atenção para o crescimento da atividade de bovinocultura de recria e engorda extensiva que, esse ano, já responde por R$ 17,2 milhões das contratações para o setor, incremento de 50% em relação a setembro de 2019. Ele enfatiza que o BNB possui financiamento exclusivo para aquisição de matrizes e para recria e engorda, com taxas bastante competitivas. Segundo o superintendente, a pecuária de corte está avançando no Estado como meio de diversificação econômica e o fato está sendo constatado também pelo aumento da demanda por crédito.

Perfil

Além da bovinocultura, a avicultura alagoana também demonstrou incremento nas contratações com alta de 76% em relação a setembro do ano passado.

Entre os financiamentos destinados à pecuária do Estado, 56,7% foram contratos realizados com microempreendedores rurais e 28% com pequenos e mini produtores, sendo este o segmento que mais cresceu no volume de crédito (51%) até setembro de 2020, quando comparado aos primeiros nove meses de 2019.

Quanto aos municípios que mais demandaram por crédito para o setor estão: Viçosa, São Sebastião, Girau do Ponciano e Craíbas.

Fazenda Ferrão, de Porto Calvo, conta com o apoio do BNB