Apenas 3% dos alimentos destinados às crianças são saudáveis, afirma estudo


Pesquisa identificou que poucos produtos voltados ao público infantil trazem benefícios para a saúde; a grande maioria contribui, principalmente, para a obesidade

A rotina agitada do dia a dia contribui para que os alimentos industrializados e prontos para consumo sejam uma opção no cardápio, inclusive das crianças. Apesar da grande variedade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a maioria dos alimentos e bebidas para crianças concentra, principalmente, itens ricos em gordura, açúcar ou sal, identificados como fatores de risco que contribuem para a obesidade infantil.

Neste cenário, uma pesquisa realizada pela Universidade Miguel Hernández, na Espanha, estudou alimentos disponíveis no mercado destinados às crianças e verificou que 97% deles não são saudáveis. A análise concluiu que os produtos possuíam fraca presença de proteínas e fibras, com baixa qualidade nutricional, em comparação com os alimentos que não eram voltados para crianças e adolescentes. A pesquisa verificou, ainda, que 62% dos produtos eram ricos em gordura, 59% em açúcares e 45% em gordura saturada e sal.

Segundo a engenheira de alimentos Erika de Almeida, a alimentação infantil saudável traz uma série de benefícios, a curto e longo prazos. “Incluir alimentos saudáveis nas refeições das crianças e adolescentes auxilia no desenvolvimento intelectual e no crescimento adequado para a idade. Os nutrientes ainda contribuem para impedir o desenvolvimento de doenças como anemia, obesidade, colesterol alto e hipertensão, por exemplo, que antes eram mais comuns no universo adulto, mas que estão cada vez mais presentes na realidade infantil”, explica a analista de Pesquisa e Desenvolvimento da Jasmine Alimentos, empresa especializada em alimentos saudáveis.

No último trimestre de 2020, a marca lançou uma nova linha de produtos saudáveis voltada para as crianças em parceria com o Gloob – canal infantil da Globo. O lançamento, inspirado no universo da série Detetives do Prédio Azul, traz mini cookies nos sabores chocolate, baunilha e morango, além de mini crackers nos sabores original e pizza.

Os novos snacks são compostos por um mix de cereais integrais, de trigo, aveia, arroz e milho, sem ingredientes de origem animal. “Os mini cookies e mini crackers foram criados pensando em trazer um produto saboroso, vegano e realmente saudável: comida de verdade. Os mini cookies são fonte de cálcio, enquanto os mini crackers são enriquecidos com vitaminas A, C, D e E. Ainda possuem valor nutricional atrativo, baixo teor de gorduras saturadas, 0% de gorduras trans e são fonte de fibras, focando na imunidade e na saúde das crianças, com muito sabor”, explica o diretor de inovação e transformação da Jasmine Alimentos, Rodolfo Tornesi Lourenço.

As embalagens são de porção individual, com quantidade suficiente para os lanches no dia a dia e formato prático para caber no bolso ou na mochila. Os pacotes também possuem QRCodes, direcionando para games exclusivos do D.P.A. nos dispositivos móveis. “O público infantil é uma fatia de mercado muito importante para nós. É na infância que as pessoas aprendem hábitos mais saudáveis, o que as torna adultos mais críticos e preocupados com a alimentação e a saúde no futuro. A introdução de personagens e do universo do D.P.A. em nossas embalagens faz com que a alimentação saudável se torne um momento de diversão para as crianças”, ressalta Lourenço.

No portfólio da marca, os novos snacks são a única linha voltada exclusivamente para as crianças, com embalagem prática e lúdica. A empresa de alimentos saudáveis possui, ainda, cerca de 140 SKUs, segmentados nas categorias integral, orgânico, sem glúten e zero açúcar, voltados para todos os públicos.