Federação Argentina propõe 33% de ocupação nos estádios; ideia não agrada o governo local


Por Redação do ge — Buenos Aires

Depois de uma pequena pausa de três semanas e uma pré-temporada express, o futebol argentino voltará esta semana. Na quarta o River estreia pela Copa Argentina, e no fim de semana será disputada a primeira rodada da Copa da Liga Profissional.

Por enquanto com estádios vazios, mas a AFA pressiona os governos locais a liberarem a presença de público nos estádios.

O presidente da entidade, Claudio Tapia, enviou cartas formalizando o pedido para os chefes de governo da capital do país e das províncias de Buenos Aires, Santa Fe, Santiago del Estero, Tucumán, Mendoza, Córdoba e Entre Ríos, já que cada uma delas tem representantes na elite do futebol argentino.

Federação Argentina tenta pressionar governos locais por volta de público aos estádios — Foto: Marcos Brindicci / Reuters

Federação Argentina tenta pressionar governos locais por volta de público aos estádios — Foto: Marcos Brindicci / Reuters

No documento, a AFA esclarece que seria permitida a ocupação de 33% da capacidade dos estádios, seguindo os protocolos sanitários, e que o acesso seria exclusivo para sócios e sócios-torcedores dos clubes mandantes.

Segundo o jornal argentino “Olé” a ideia não agradou o governo argentino e a presença de púbico estaria descartada nesse início de temporada.

A Argentina foi um dos últimos países a liberar jogos em seu território, após o início da pandemia. Foram 6 meses, de março à setembro do ano passado, de bola parada.

O país, que foi o primeiro a começar a vacinação na América do Sul, está com o cronograma de vacinação atrasado por conta de uma demora na produção da Sputnik V. Até o momento cerca de 400 mil pessoas foram vacinadas no país, em contrapartida mais de 49 mil pessoas já morreram por coronavírus e quase 2 milhões foram infectadas.