Água que beneficia 400 mil alagoanos percorre mais de 100 km entre etapas de captação e tratamento


No Dia Mundial da Água, Agreste Saneamento reforça o compromisso com o cuidado e preservação do recurso

A água que beneficia cerca de 400 mil alagoanos na região agreste do estado percorre um longo caminho, que na maioria das vezes é desconhecido pela população. Ao todo, mais de 100 quilômetros separam os pontos de captação no Rio São Francisco, incluindo os seis estágios de tratamento, até a água limpa chegar às torneiras das casas do consumidor. O trabalho é executado pela Agreste Saneamento.


A empresa, controlada pela Iguá Saneamento, atua em parceria com a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) no estado. Cabe à Agreste captar, tratar e fazer a adução – operação que consiste em derivar e conduzir a água na rede de distribuição. À Casal compete a distribuição à população dos 10 municípios atendidos pelo trabalho. Durante todo o ano e de forma quase ininterrupta, os Sistemas Adutor do Agreste e Coletivo do Agreste são operados por cerca de 40 profissionais que se revezam para garantir o funcionamento dos processos.

“São duas adutoras de 50 quilômetros cada, sendo uma expressa que vem direto de Arapiraca, e outra com derivação que abastece municípios e povoados. Nas Estações de Tratamento de Agua (ETA’s) elas são do tipo convencional de ciclo completo e circuito fechado, onde ocorrem as etapas de pré-oxidação, coagulação, floculação, decantação, filtração e pós-oxidação”, explica Sérgio Bovo, diretor operacional da Agreste Saneamento.

O cuidado com a água é uma premissa da atuação da empresa em todas as etapas. Um exemplo disto é que durante a fase de tratamento, mais de 20 mil análises são realizadas mensalmente para atestar a qualidade do líquido que chega até à população.

“As aferições consideram diferentes parâmetros. A média mensal é de mais de 8,4 mil análises no Sistema Novo e 10,4 mil no Sistema Antigo. Em meses como junho e dezembro, o número de exames ultrapassa a marca de 20 mil, porque inclui avaliações semestralmente. A cada duas horas os técnicos da Agreste realizam as análises considerando parâmetros físico-químicos que verificam aspectos como pH, cor, turbidez e cloro. Trimestralmente, outros testes acontecem em quatro pontos de coleta de cada sistema, onde são considerados mais de 100 parâmetros”, aponta Sérgio Bovo.

O Dia Mundial da Água é uma data para lembrar que o recurso é um dos bens mais preciosos da humanidade, essencial para a sobrevivência, para a qualidade de vida e para melhores indicadores sociais. Em tempos de pandemia, a água é fundamental também para o combate à disseminação do vírus da Covid-19.

“Nosso relacionamento com os recursos hídricos se reflete em um trabalho incansável e imprescindível de conscientização sobre seu uso racional e preservação ambiental, porque isto impacta diretamente na qualidade das reservas hídricas existentes. Neste dia tão importante para a humanidade reforçamos nosso compromisso em cuidar das pessoas por meio do nosso cuidado com a água”, enfatiza Bovo.

Iguá Saneamento reforça seu plano estratégico de Sustentabilidade

Neste Dia Mundial da Água, a Iguá Saneamento – detentora da Agreste Saneamento – faz um movimento muito importante. A companhia anuncia uma ambiciosa reformulação em seu plano estratégico de sustentabilidade, que visa transformar a empresa em referência em questões ESG no Saneamento.
As ações socioambientais da Iguá passam a ser norteadas pelos mais elevados padrões internacionais, tendo como referência o Sustainability Accounting Standards Board (SASB), a Global Reporting Initiative (GRI) e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

“A água é o recurso mais essencial à vida, e a Iguá entende a responsabilidade de cuidar desse bem. Nosso plano de sustentabilidade está intimamente relacionado com a necessidade de antecipar e mitigar riscos, principalmente se considerarmos o impacto que eventos naturais mais recentes nos impõem, que é o caso das mudanças climáticas, por exemplo. Esse movimento reforça o objetivo principal da Iguá, que entende o saneamento como força de transformação social. Ao cuidar da água estamos também cuidando da população, melhorando sua qualidade de vida.”, destaca Pericles Weber, COO da Iguá.

Membro do Pacto Global da ONU, a empresa também assume compromissos públicos como universalização do saneamento até 2030; ser carbono neutro até 2030; aumentar para 45% a participação de mulheres em cargos de liderança e para 50% a presença de negros em toda a organização até 2025; aprimorar o aproveitamento hídrico e implementar estudos de impacto das mudanças climáticas em seus mananciais; e adotar processo de homologação de fornecedores até dezembro de 2021, replicando as premissas sustentáveis da companhia em sua cadeia de suprimentos.

A companhia definiu quatro pilares essenciais que orientam a realização das ações socioambientais em todas as suas unidades operacionais, constituindo o planejamento estratégico SERR – Segurança hídrica; Eficiência na produção e distribuição de água; Responsabilidade na coleta e tratamento de esgoto; e Respeito às pessoas.

“Com o SERR, a Iguá assume um posicionamento importante sobre como tudo isso será feito ao reforçar a visão de longo prazo e envolver todas as partes relacionadas nesse processo, como nossos colaboradores, clientes, fornecedores e as comunidades onde atuamos”, explica Rosane Santos, diretora de Sustentabilidade da Iguá.

“Não apenas isso. A companhia se volta também para a questão da conservação de mananciais, para a inclusão e diversidade, para a qualidade de vida e de trabalho de nossos colaboradores e, especialmente, para nossos clientes, olhando para eles como parte integrante de comunidades que são, cada vez mais, impactadas positivamente com o serviço de saneamento básico em seus múltiplos aspectos, tais como redução de doenças de veiculação hídrica, conservação ambiental, valorização econômica e do espaço público em geral, entre outros”, acrescenta.

Responsável pelo fornecimento de água tratada e pelo tratamento de esgoto para mais de 6 milhões de brasileiros em 5 estados, a Iguá amplia seus projetos de conservação hídrica e define metas significativas, como o comprometimento com a redução de perdas. A companhia também desenvolve um Plano de Segurança Hídrica que contempla iniciativas que visam desde a conservação de mananciais, passando pelo monitoramento de qualidade durante todo o ciclo da água e do esgoto, até a gestão de resíduos, além de outras iniciativas como estudos sobre a disponibilidade hídrica, visando mitigar o risco de escassez.
“Trazendo a sustentabilidade com eixo do negócio, a Iguá reforça sua visão de médio e longo prazo, estando melhor posicionada para endereçar os desafios do setor e estreitando o relacionamento da empresa com seus interlocutores”, destaca o CEO da Iguá, Carlos Brandão.