Neste Dia de Conscientização de Combate às Hepatites Virais, farmacêutico fala sobre suas formas de transmissão

No Dia de Conscientização de Combate às Hepatites Virais, nesta quinta-feira 28 de julho, o Conselho Regional de Farmácia de Alagoas faz um alerta quanto aos cuidados e tratamento desta patologia que atingiu mais de 7 mil pessoas em Alagoas, nos últimos 20 anos, conforme dados do Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde de 2021.

O farmacêutico Humberto Medeiros, membro do Grupo de Trabalho de Análises Clínicas do CRF/AL, explica que hepatite é o nome dado a toda inflamação ou infecção que atinge o fígado, e é causada, na maioria das vezes, por uma infecção viral. “A doença se manifesta de maneira silenciosa, e isso acaba trazendo comprometimento para o organismo, e dependendo das alterações provocadas no fígado, a doença pode ser leve, moderada ou grave”, alertou.

Quando a doença apresenta sintomas, estes podem ser: cansaço, febre, mal estar, tontura, vômito, dor abdominal, enjoo, pele e olhos amarelados, a urina escura e fezes claras. 

As hepatites virais são classificadas em cinco tipos: A, B, C, D e E, de acordo com o tipo de vírus que provoca a doença (HAV, HBV, HCV, HDV e HEV). Estes vírus podem causar hepatite aguda e até se tornar crônica. “Os vírus das hepatites B, C, D causam hepatite crônica que podem levar a cicatrizes no fígado, conhecida como cirrose, até o desenvolvimento de um câncer primário de fígado”, pontuou.

No caso da hepatite A, o farmacêutico revela que é uma doença viral aguda que na maioria das vezes não apresenta sintomatologia, mas que raramente evolui para a falência hepática, por isso, ela é considerada benigna. É também conhecida como hepatite infecciosa. A sua transmissão acontece por meio do consumo de água e alimentos infectados pelo vírus HAV.

Já a hepatite B está presente no sangue e secreções, então, a sua transmissão acontece principalmente por meio de relações sexuais sem uso de preservativo, da mãe para o filho durante o parto, no compartilhamento de objetos de higiene pessoal, como por exemplo lâmina de barbear ou alicate de unha, do consumo de drogas com o compartilhamento de seringas e por meio de transfusão sanguínea.

A hepatite C é considerada a mais grave entre as hepatites virais, se manifestando de maneira aguda ou crônica, podendo evoluir para uma cirrose hepática. “A hepatite C é a segunda forma mais frequente da doença”, disse Humberto.

A hepatite D se desenvolve naquele paciente que tem hepatite B, é considerada a mais grave das formas crônicas, com progressão mais rápida para cirrose, maior probabilidade de progressão para descompensação, e para o câncer de fígado, podendo levar a morte do paciente.

No caso da hepatite E, que não é comum no Brasil, o paciente apresenta uma hepatite aguda de curta duração e autolimitada, o que significa dizer que depois de um certo tempo ela desparece. “Ela pode ser grave em gestantes”, comentou.

De acordo com o farmacêutico, a prevenção para as Hepatites Virais se faz por medidas gerais de higiene e saneamento básico, sexo seguro e vacinas para a as Hepatites A e B.

A atuação farmacêutico na hepatite

As unidades básicas de saúde realizam o rastreamento de infecção por hepatites virais B e C. “Qualquer usuário do SUS pode procurar a unidade de saúde mais próxima a sua residência e solicitar a realização do teste rápido. É um teste indolor, onde é feito um pequeno furo no dedo e em poucos minutos o resultado já é entregue ao usuário. Caso seja positivo, ele será encaminhado para unidade de referência para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

O diagnóstico da doença é feito por meio de exames de sangue, onde se detectam anticorpos produzidos pelo organismo quando se tem o vírus.

E o tratamento é direcionado conforme o tipo de vírus que o paciente apresenta. Alguns destes vírus tem tratamento específico, e em alguns são tratados apenas os sintomas apresentados.

 “Como farmacêuticos, nós podemos realizar esses testes e fazer a análise dos resultados, e também atuar no tratamento com a dispensação do medicamento, tanto nas farmácias, como nos hospitais, quando os pacientes estão internados. Nós atuamos desde a suspeição até o tratamento”, afirmou.

Realização de testes

No dia 28 de julho, o Conselho Regional de Farmácia de Alagoas estará no Centro Espírita Nosso Lar realizando testes para hepatite de forma gratuita das 13h às 17h. A ação será promovida pelo Grupos de Trabalhos de Farmácia Comunitária e Análises Clínicas do CRF/AL.

Eline Baracho, líder do GT de Farmácia Comunitária, explica que o objetivo da ação é detectar as hepatites virais e encaminhar esses pacientes para tratamento. “Quero agradecer a comunidade do Nosso Lar por nos receber e permitir que a gente possa prestar esse serviço à comunidade que já é assistida por eles”, agradeceu.

Comentários